Além dos benefícios mais conhecidos, conheça 6 respostas-chave sobre amamentação

O site bebe.com.br fez um post muito bacana com pontos chave sobre a amamentação. Confira!

A amamentação tem reflexos futuros na respiração, dentição e fala da criança, além de promover um vínculo de amor e carinho entre a criança e a mãe. Quando o bebê é amamentado, não só se alimenta como realiza um exercício físico muito importante, que estimula o crescimento harmonioso das estruturas orais e faciais. Conversamos com a fonoaudióloga Camille Siqueira, do Grupo FonoVital, no Rio de Janeiro, e com a odontopediatra Lucia Coutinho, de São Paulo para esclarecer algumas das principais dúvidas referentes ao tema: 

1) Por que a amamentação é importante?

As vantagens do aleitamento materno são inquestionáveis tanto para a mãe como para o bebê. A amamentação tem o efeito de reduzir a incidência de doenças alérgicas, otite média, infecções respiratórias e diabetes. Os benefícios são de ordem nutricional, imunológica, psicológica, ortodôntica, social e cultural. Entretanto, o que poucas mamães sabem é que a amamentação tem reflexos futuros na respiração, dentição e fala da criança.

 

Ao nascer, o bebê tem a mandíbula muito pequena, que irá alcançar um tamanho equilibrado em relação à maxila, ao ter seu crescimento estimulado pela sucção do peito. Maxilares mais bem desenvolvidos propiciarão um melhor alinhamento da dentição. Músculos firmes ajudarão na fala.

 

2) Como deve ser realizado o aleitamento?

No caso da amamentação natural, é fundamental que a boca do bebê se encaixe bem no peito, englobando não só o bico, com também a aréola. Essa é a posição que favorece uma boa respiração nasal e faz com que o bebê exerça a força necessária para desenvolver os músculos da face. Além disso, a língua fica na posição ideal para o movimento de deglutição.

Em relação à mamadeira, é importante verificar o tamanho e formato do bico, para que desempenhem funções mais próximas do aleitamento natural. Esses cuidados estimulam um adequado desenvolvimento das arcadas dentárias, ajudando, também, no processo de fala.

 

3) Quais as vantagens da amamentação natural?

O bebê que suga o bico de borracha adota um padrão de sucção diferente daquele adotado com a mama, uma vez que os movimentos da língua não são os naturais e a musculatura é empregada de forma incorreta. Na amamentação natural, a criança tem maiores condições de satisfazer suas necessidades sensório-motoras globais e, particularmente, sua necessidade oral, porque através da sucção do peito exercita por mais tempo os seus órgãos fono-articulatórios. Na amamentação artificial, esse processo tende a ocorrer de forma muito passiva.

 

4) Como escolher a mamadeira adequada?

O bico da mamadeira deverá ser sempre anatômico, observando a indicação própria para a idade. Não aumente o furo do bico da mamadeira, porque é importante que a criança exercite a função de sucção, cujo esforço é necessário para o desenvolvimento da face. Não é indicado fazer da mamadeira uma companheira ao longo de anos, pois habituará a criança a uma dieta mole e adocicada. A mastigação dará continuidade à tarefa de exercitar ossos e músculos da face. O ideal é que a mamadeira seja de vidro, com bico anatômico e tamanho apropriado para cada faixa etária da criança.

 

5) Qual a idade máxima da criança para amamentação?

O aleitamento exclusivo materno é recomendado até os 6 meses, período em que começa a introdução de sucos na dieta e, em seguida, a alimentação pastosa. Nesta fase, a amamentação no peito é complementada por outros alimentos recomendados pelo pediatra. A Organização Mundial da Saúde preconiza o aleitamento materno até os 2 anos. Já a Academia Americana de Pediatria sugere que o desmame comece a partir de 1 ano. O processo deve ocorrer de uma forma gradativa e tranquila. Nesta idade, a criança já estará recebendo alimentos amassados com grafo e sendo estimulada, gradualmente– de acordo com a sua idade e o número de dentes– com alimentos mais consistentes. Isso favorece a mastigação, uma função importante para o crescimento e desenvolvimento dos arcos dentários.

 

6) Quais as principais dicas para as mães?

- Durante a mamada, a criança deve ficar em posição mais vertical, quase sentada no colo da mãe. Isso evita que o leite escorra para a tuba auditiva, provocando otite de repetição.

- Mude o bebê de posição, durante a mamada, porque enquanto suga o seio da mãe, apenas um de seus olhos fica liberado para explorar o mundo e é importante que isso aconteça de forma binocular para desenvolver a acuidade visual e a musculatura facial bilateralmente.

- Durante a gravidez, é preciso examinar as mamas e verificar a forma dos mamilos. Se eles forem planos ou invertidos, existem exercícios próprios para transformá-los em um mamilo adequado para ser bem abocanhado e sugado pelo bebê.

-Aumente a ingestão de líquidos para estimular a produção de leite.

- O horário das mamadas deve ser livre: a criança deverá ser amamentada sempre que tiver fome e durante o tempo que quiser. Quando mais completo for o esvaziamento das mamas, maior será a fabricação de leite.

- Um ambiente calmo e tranqüilo, com o contato visual entre a criança e a mãe durante a amamentação, é fundamental para a qualidade do aleitamento

 

 

Fontes

Fonoaudióloga Camille Siqueira, do Grupo Fonovital, no Rio de Janeiro.  Contato: www.fonovital.com.br / (21) 2178-2476

Odontopediatra Lucia Coutinho, de São Paulo. Contato: www.luciacoutinho.com.br / (11) 5052 4346 / clinica@luciacoutinho.com.br